quinta-feira, 9 de maio de 2013

Carlos Villagrán dá entrevista Coletiva em Campos dos Goytacazes



Com muito bom humor e simpatia inigualável o ator mexicano Carlos Villagrán, o eterno Kiko do seriado do Chaves, o mais antigo em exibição na televisão brasileira esteve no foyer do Teatro Municipal Trianon e coletiva com a imprensa campista. Ao Site Ururau Carlos falou da emoção em interpretar um personagem que atravessou gerações colhendo risos dos filhos e principalmente dos pais.
“Ficamos quatro gerações. No México temos 41 anos que saiu o programa (Chaves), mas chegou aqui ao Brasil há 30 anos. Fico muito agradecido de levar quatro gerações, e o programa agradando toda família, toda gente, de todas as idades, todas as classes sociais. Agradando a meninos muitos pobres até o presidente das nações”, disse Carlos que contou também o segredo de tamanho sucesso.
“Nunca vestimos roupas de mulher, nunca fizemos papeis diferentes do normal. Não promovemos o sexo, não geramos violência, o programa era muito ‘tonto’, muito bobo, mas muito bem feito”.
Amante do futebol e admirador da seleção brasileira Carlos recebeu das mãos da prefeita Rosinha Garotinho, acompanhada do ator Luciano Szafir, que veio conhecer o teatro, uma “bola quadrada”, o sonho do personagem Kiko. O ator fez questão que a prefeita autografasse o presente. Além disso, ganhou uma cesta de doces típicos de Campos e uma camisa do Goytacaz Futebol Clube, de um torcedor do clube.
“Já confessei várias vezes que queria ser brasileiro e ‘depois’, eu quero que minhas cinzas fiquem aqui no Brasil”.
“Kiko tem que ficar sempre o mesmo personagem. Kiko é muito bruto, muito tonto, muito bobo e tem que ficar assim, por que senão, não é Kiko. O que representa o Kiko é que ele quer dançar, cantar, que fazer tudo, mas não sabe fazer nada. Então fica sua comicidade, sua brincadeira. Sempre divertindo a gente, sempre como Kiko.”
“Eu tenho 69 anos e meu inimigo principal é um menino que sai da televisão, que sou eu mesmo, mas 40 anos mais novo. Então eu tenho que deixar de vestir a roupa do Kiko, por  respeito ao personagem, por respeito à vocês, por respeito até mesmo ao seriado do Chaves, por respeito a todo mundo. Vou fazer outras coisas. Mas o seriado vai ficar aí. Vai passar muitos anos e vai ficar aí.”
Villagrán revelou ainda que vai escrever um livro e provavelmente fazer um programa, não como Kiko, mas como Villagrán e deverá retornar ao Brasil durante a Copa, quando irá tocer para o México e para o Brasil.
“Eu penso que o Brasil vai ganhar.”

Carlos Villagrán, 69 anos, é ator e show-man. O “Show do Kiko” vem alegrando jovens de todas as idades há mais de 15 anos, por toda a América Latina. Sempre com muito sucesso, Villagrán atrai a sua enorme legião de fãs por onde passa, fazendo as pessoas rirem com as trapalhadas do garoto mimado que conquistou o mundo: Kiko.
“Trata-se de um ícone que já divertiu mais de quatro gerações. Por onde passa, Carlos Villagrán recebe o carinho de seus admiradores. Campos terá a chance única de contato com ídolo mexicano. Garantam seus ingressos, pois o teatro possui apenas 800 lugares”, explica o presidente da Fundação Trianon, João Vicente Alvarenga.
Os ingressos, para o penúltimo Show do Kiko, que acontece nesta quinta-feira (09/05), às 19h, no Teatro Municipal Trianon já estão esgotados. O ator encerra sua carreira no sábado, com um show na capital fluminense.

Texto: Jornal Ururau
Fotos: Vagner Basilio

Nenhum comentário:

Postar um comentário